A história do canal do Panamá

O Canal do Panamá é um canal artificial que possui 82 km de comprimento, com largura no Estreito de Culebra de 90 metros e no Lago de Gatún de 350 metros, que corta o Panamá (País da América Central), ligando o oceano Pacífico ao oceano Atlântico. A navegação por este canal começou em 1914, ano de sua inauguração, sua construção significa uma importante conquista da engenharia, além de facilitar o fluxo marítimo. Porém, a ideia de se construir o canal surgiu no final do século XIX, tempo em que o Panamá estava anexado ao território colombiano. 

Para a construção do canal foi contratada uma empresa francesa, mas a execução da obra ficou comprometida em virtude de uma profunda crise da incorporadora, que vendeu suas ações para os Estados Unidos, principal interessado na construção desse empreendimento, uma vez que poderia encurtar as distâncias marítimas entre as costas oeste e leste do país e também com outros continentes. 

Essa obra permitiu uma agilidade maior dos navios, caso não houvesse o canal, uma embarcação que, partindo da costa oeste americana, tivesse como destino a Europa, por exemplo, teria que dar a volta em torno da América do Sul. 
 

Como existe uma diferença quanto ao nível dos oceanos Pacífico e Atlântico, a construção de diversas comportas ou eclusas foi necessária, sendo as principais: Eclusas de Gatún, Eclusa de Pedro Miguel e Eclusas de Miraflores. 

Pelo menos 14 mil embarcações atravessam o Canal do Panamá todos os anos. Apesar de sua enorme relevância, sua construção esteve ligada a uma série de interesses políticos e econômicos, especialmente por parte dos Estados Unidos, principal favorecido. 

Para alcançar seus interesses, os norte-americanos incentivaram a independência do Panamá em relação à Colômbia. Como retribuição pela “ajuda”, o governo panamenho concedeu o direito de construção e controle do canal de 1914 até 1999 aos Estados Unidos. Com o fim do controle norte-americano na Zona do Canal, no dia 31 de dezembro de 1999 todos os direitos de administração do empreendimento passou a ser literalmente do Panamá. 





Os incríveis números do Canal do Panamá O esforço — Um trem carregado com todo o material escavado para a construção do canal teria comprimento equivalente a quatro vezes o diâmetro da terra. O tráfego — 14 mil embarcações usam o canal a cada ano.

A travessia leva oito horas. A arrecadação — Hoje o canal do Panamá arrecada entre US$ 2 milhões e US$ 4 milhões ao dia. Por ano, são US$ 2 bilhões.

 — Para atravessar de um oceano a outro, os navios pagam em média US$ 100 mil, de acordo com a carga. O máximo já pago de pedágio por uma embarcação foi US$ 409 mil.

— O gasto compensa. Um barco pode economizar até US$ 2,3 milhões usando o canal, em lugar de circular todo o continente. As eclusas — No oito minutos necessário para fazer um navio mudar de nível, 104 milhões de litros de água são movidos na câmara da eclusa